ORIGEM E HISTÓRIA DO CARNAVAL

Que o carnaval é a festa que mais mobiliza os brasileiros você já sabe, mas você sabe qual é a origem do carnaval?

O carnaval marca os dias que antecedem a Quaresma, período em que os cristãos se impõem diversas privações alimentares, como a abstinência de carne, e onde se busca a purificação e a espiritualidade. A intenção é a de se preparar para a Páscoa. Quaresma é, portanto, os 40 dias após a quarta-feira de cinzas.  

Mas por que é importante falar da Quaresma e das abstinências alimentares? Pois uma das teorias a respeito da origem do carnaval é a de que a etimologia da palavra vem dos termos latinos Carnem Levare ou Carnelevarium, cujo significado é: afastar-se da carne. O Carnaval seria, portanto, o momento de alforria dos desejos alimentares que precede a entrada dos dias de privações impostos pela Quaresma. 

Para se ter uma ideia, estudos aponta que entre os séculos V e IX, a restrição alimentar impunha apenas uma refeição ao dia, ausência de carne, peixe e muitas vezes até mesmo ovos. 

Outras fontes sugerem uma origem pré-cristã, apontando que no hemisfério norte, as datas da celebração marcam o fim do inverno, o começo da primavera e a volta da fertilidade às terras. As festas em saturnais de Roma realizadas em homenagem ao Deus Saturno são mencionadas como uma possível origem pagã para o Carnaval.

O CARNAVAL NO BRASIL 

O Carnaval no Brasil ganhou contornos muito particulares, o que torna a festividade aqui uma das mais lindas e grandiosas do mundo. O Carnaval no Brasil é uma das manifestações máximas do sincretismo que compõe especialmente as camadas médias e pobres da população brasileira. Uma celebração cristã se encontra com a cultura africana e indígena, as silenciosas procissões são tomadas de instrumentos percussivos, os hinos de louvor ganham novos ritmos, novos temas, a festa que antecede a Quaresma passa a ser o momento de brincar “de rei ou de pirata ou jardineira, pra tudo se acabar na quarta-feira” como cantou João Gilberto. Historicamente, a narrativa criada em volta do Carnaval no Brasil é aquela da subversão da ordem, uma ordem fadada a se impor novamente após estes ímpares cinco dias, mas, ainda assim, cinco dias  nos quais as ruas são tomadas por multidões heterogêneas que, como cantou Chico Buarque, “um dia, afinal, tinham o direito a uma alegria fugaz / Uma ofegante epidemia que se chamava carnaval / O carnaval, o carnaval / Vai passar / Palmas pra ala dos barões famintos / O bloco dos napoleões retintos / E os pigmeus do boulevard / Meu Deus, vem olhar, vem ver de perto uma cidade a cantar / A evolução da liberdade até o dia clarear”     

Confere também a origem do Coelhinho da Páscoa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo