fbpx

A HISTÓRIA POR TRÁS DAS DECORAÇÕES DE NATAL

Já é final de novembro, hora de começar a pensar a sua decoração natalina! O Natal traz consigo toda uma indumentária decorativa. Árvores, meias nas lareiras, luzes, fios de prata, bojos, grinaldas e muito mais. Mas você já parou para se perguntar de onde surgiu essa cultura? É isso que vamos comentar nesse post; a história por trás das decorações natalinas.

1- ÁRVORE DE NATAL

Sabe-se que o Natal, como comemoramos hoje, é uma mistura entre culturas europeias pagãs e o cristianismo. Trata-se de uma espécie de sincretismo religioso recheado de imagens e lindos costumes ancestrais. A Árvore de Natal não é diferente, pois antes mesmo do cristianismo, as famílias provenientes dos locais mais frios do mundo tinham o costume de, durante o inverno, trazer árvores “evergreen” para dentro de casa. Evergreen é um termo em inglês que significa “sempre verde” e refere-se às árvores que não perdem as folhas durante o rigoroso inverno. Trazer essas árvores, geralmente pinheiros, para dentro de casa era uma forma de cultuar a natureza e lembrar da força da vida, mesmo em tempos de escassez. O cristianismo utiliza a árvore que não perde folhas como uma lembrança da vida eterna junto a Deus.

2 – BOLAS DE NATAL

Você certamente conhece a famosas bolas natalinas que costumam ser penduradas nas árvores de Natal. Elas são de várias cores, mas a que predomina é a vermelha. Bom, antes de serem feitas de plástico com purpurinas, essas bolas eram frutos de verdade. Esse é mais um costume que veio da Europa, mais especificamente da Alemanha, onde costumava-se pendurar frutos nas árvores trazidas para o interior das casas. Tudo isso pra simbolizar a harmonia e a fertilidade.

3 – MEIAS NAS LAREIRAS

Alguns estudiosos contam que o Papai Noel surgiu de uma alteração de São Nicolau, um santo conhecido por distribuir dinheiro às pessoas necessitadas. Contam as histórias que certa noite São Nicolau jogou algumas moedas de ouro pela chaminé da casa de uma família muito pobre. Essas moedas caíram nas meias que secavam em frente à lareira. Desde então, criou-se o costume de deixar meias nas lareiras, na esperança de que São Nicolau (ou Papai Noel)  venha deixar algum presente.

4 – LUZES DE NATAL

Glade jul (Happy Christmas) by Viggo Johansen (1851-1935) | © WikiCommons

A história das luzes natalinas que ficam envolvidas nas árvores de Natal é bastante curiosa. Como vocês podem imaginar, originalmente, durante a era vitoriana, eram colocadas velas nas árvores. Acontece que isso gerava tantos incêndios (imagine uma vela pendurada em um galho de árvore), que durante o século dezenove diversas empresas norte americanas de seguros tentaram passar leis que proibiam o uso das velas nas árvores. Eventualmente, em 1895, um cidadão chamado Ralph Morris, que também ficou preocupado com a situação dos incêndios natalinos, inventou lâmpadas elétricas de Natal muito semelhantes àquelas que utilizamos nos dias de hoje.

5 – CORDINHAS DE PRATEADAS E DOURADAS

Chamado em inglês de “tisel”, as cordinhas prateadas eram, originalmente, verdadeiros fios muito finos de prata que eram colocados em volta das árvores de Natal. Há, no entanto, uma lenda muito curiosa a respeito do costume dos fios de prata. Conta-se que, há muito tempo atrás, existia uma família bastante pobre que não tinha dinheiro para decorar a sua árvore de Natal. Foi então que, na noite anterior ao dia 25, uma aranha traçou uma enorme teia ao redor da pequena e pobre árvore daquela família. Para a surpresa de todos, na manhã seguinte, quando as crianças da casa acordaram, as teias da aranha haviam se transformado miraculosamente em fios de prata e ouro! Seria São Nicolau? Papai Noel? Ou apenas mágica?   

Rolar para o topo